DESCANSO: Vazio sanitário da soja começa em Rondônia e vai até setembro

Medida é para solo ganhar um “respiro” e controlar principal doença da planta

DESCANSO: Vazio sanitário da soja começa em Rondônia e vai até setembro

Foto: Ésio Mendes/Secom - Governo de Rondônia

Desde a última segunda-feira (10), os produtores de soja em Rondônia devem respeitar mais um período de vazio sanitário, que consiste em 90 dias de descanso do solo.

 

Segundo o Ministério da Agricultura, essa medida tem como objetivo controlar a ferrugem asiática da soja, causada pelo fungo Phakopsora pachyrhizi.

 

O fungo responsável pela ferrugem é biotrófico, ou seja, depende da planta viva para sobreviver e completar seu ciclo de vida.

 

Baseado nesse entendimento, foi implementado o vazio sanitário - um período obrigatório de pelo menos 60 dias em que não se pode semear ou manter plantas vivas de soja no campo.

 

Este período de ausência completa de plantas vivas de soja se estende até o dia 10 de setembro. O fungo da ferrugem é não só biotrófico, mas também muito leve, sendo disperso principalmente por correntes de ar (vento).

 

As principais fontes de inóculo eram as plantações de soja na entressafra (soja irrigada), plantas guaxas (voluntárias) e também lavouras de países vizinhos, especialmente Bolívia e Paraguai.

 

Conforme a Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), ao eliminar as plantas de soja durante a entressafra, interrompe-se o ciclo do fungo, diminuindo assim a quantidade de esporos no ambiente.

 

O não cumprimento do vazio sanitário em Rondônia resulta em multas e destruição da área plantada.

Direito ao esquecimento
Qual pré-candidato à Prefeitura de Ji-Paraná tem sua preferência?
Como você avalia a gestão do prefeito Cornelio em São Miguel do Guaporé?

* O resultado da enquete não tem caráter científico, é apenas uma pesquisa de opinião pública!

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

CLASSIFICADOS veja mais

EMPREGOS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

DESTAQUES EMPRESARIAIS

EVENTOS